“Se você não fosse meu eu não seria tão… EU.”

“Oh cabelo, cabelo meu, se você não fosse meu eu não seria tão… EU.” Lembram desse comercial?

Nós garotas, desde sempre somos preocupadas com nosso cabelo. Qual o corte ideal, o tamanho, a cor, o penteado… Isso pode nos deixar algumas horas pensativas na frente do espelho… Lógico que tem aquelas moças que são ousadas toda vida, e que tem estilo pra ter o cabelo todo raspado, ou boa parte dele. Tem gente que combina. Mas de qualquer jeito, a gente sempre pensa como deixar o cabelo mais bonito e saudável, e com a nossa cara. Sugestões?

Acho importante hidratar o cabelo. Nada pior do que um cabelo todo quebrado, seco e sem vida.
Acho importante também não só escolher entre os cortes que apontam como sendo ideais para seu tipo de rosto, mas sim um corte que traduza sua personalidade e que te deixe confortável. Por que seguir tudo o que te dizem se você tem seu prórpio gosto? Lógico que uns sábios conselhos não fazem mal, mas seguir passo a passo fervorosamente é meio arriscado, você pode acabar ficando dependente disso e fazer com que isso anule um pouco suas próprias vontades.
Acho importante estar satisfeita com a sua cor. É fato que sempre que uma mulher muda o cabelo ela espera mudar a vida também, se você não está satisfeita com seu visual, com a cor do seu cabelo, com a imagem que você passa, isso vai começar a afetar como os outros te enxergam. Então sempre arrume um jeito de estar feliz com você mesma, você não quer passar o recado de ser triste e deprimida né? E não se iluda se alguém disser que uma determinada cor não fica bem em você, caso esteja em dúvida contate um especialista, porque na verdade qualquer pessoa pode usar qualquer cor, o que varia é o tom que vai te favorecer mais.
Acho importante também não andar todo dia com o mesmo penteado. Imagina que tedioso, todo dia com o cabelo solto na cara, ou preso num nó ou sei lá, às vezes um simples acessório no cabelo pode mudar tudo. Acho que fazer penteados novos, pelo menos duas vezes na semana pra tirar um pouco a cara de sempre, dá um charme no visual inteiro.
Então é isso. Separei algumas sugestões de penteados, escolham o que mais combinar com você e arrasem. :D

Imagem Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

ImagemImagem

Imagem

Espero que gostem, beijinhos.

Por: Carolina Alves.

New days are strange, is the world insane…

Where is the love? – Black Eyed Peas 

Porque, pra mim, essa é a melhor música deles.

“A compaixão para com os animais é das mais nobres virtudes da natureza humana”                       – Charles Darwin

É, o mundo talvez não esteja perdido. Gostei da fotografia…
Por: Isabella Alves

Estar vivo para morrer, ou morrer enquanto ainda se está vivo?

A definição para viver é uma coisa relativa. Você pode estar vivo, vivendo, por estar respirando e não fazendo mais nada. Mas isso não parece bom. Claro, tem algumas pessoas que não podem ser de outro jeito, mas de qualquer forma… As pessoas desperdiçam um bom tempo pensando em como tem medo de morrer, mas na verdade acho que isso tem outro nome: Medo de existir.Quando você existe você dá sua cara a tapa, você conta as horas para um novo dia chegar e um mar de possibilidades surgirem. Você comemora por estar vivo, e se conforma em saber que vai morrer. Todo mundo vai, é questão de tempo. “Para morrer basta estar vivo”. Então enquanto não tenho provas de que outras vidas realmente existem, penso, porque não viver ao invés de ficar se privando de experiências que vão servir pra lembrar um dia, quando você estiver realmente morrendo, de que você existiu plenamente?
Ninguém quer viver para sempre. Se engana quem achar que sim. Deve ser tedioso! Vocês não reparam como esses personagens imortais nos filmes são entediados de tanto terem vivido? Se você tivesse garantia de que nunca morreria, que valor sua vida teria para você?
Eu não sei. Isso também é relativo. Varia de pessoa para pessoa. Sua vida pode ter suas fases ruins, que te fazem querer jogar tudo pro alto, mas isso é você quem decide. Você decide se sua vida vai ser boa ou ruim. Se você for atrás do que você sonha/quer, aguentar correr contra o vento, suportar o que parece insuportável, então você vai conseguir. “Se você pode sonhar, você pode realizar”. Mas se você abaixar a cabeça e não fizer nada para mudar sua situação, o que é que você acha que vai acontecer? Cair do céu? Difícil.
Apesar de todas as dificuldades, exista. Seja. Viva. Aja. Celebre. Porque se quando você morrer não existir outra vida, só o nada, quer dizer que você desperdiçou sua chance. Jogou fora a sua vez. Você não vai querer correr esse risco, ou vai?

Por: Carolina Alves.

“Porque música importa.”

Booom dia! Mês passado eu fiz um post sobre shows internacionais que ocorreriam esse ano ainda no Brasil, mas os que eu mais aguardava aconteceram ontem. (Estou deprimida por não ter ido). Algum de vocês conferiu de pertinho, ou pela TV/Internet o 1º dia do Z Festival no RJ?
Eu não conhecia o trabalho do Hot Chelle Rae e nem do Yellowcard, mas eles fizeram um show incrível também. Minha banda favorita também fez uma apresentação, o The Wanted, e embora eu tenha gostado eu preciso dizer que o melhor show de ontem foi o do McFly! Os caras são muito bons! Foram os mais animados, os que mais agitaram o pessoal, fiquei doida com eles. Domingo tem o último dia do festival no Rio de Janeiro, e acho que o pessoal que produziu esse festival acertou muito nas atrações, ficou tudo bem legal. Então, pra começar o dia bem, que tal ouvir uma das músicas que fez parte da set list do McFly? Beijinhos.

Sim, eles tocaram umas músicas mais novinhas, mas acho essa uma das mais legais.

Por: Carolina Alves.

 

Satélite

Fim de tarde.
No céu plúmbeo
A Lua baça
Paira
Muito cosmograficamente
Satélite.

Desmetaforizada,
Desmitificada,
Despojada do velho segredo de melancolia,
Não é agora o golfão de cismas,
O astro dos loucos e dos enamorados.
Mas tão-somente
Satélite.

Ah Lua deste fim de tarde,
Demissionária de atribuições românticas,
Sem show para as disponibilidades sentimentais!

Fatigado de mais-valia,
Gosto de ti assim:
Coisa em si,
– Satélite.

Manuel Bandeira

Aula de literatura sempre me apresentando textos legais, haha.
Por: Isabella Alves