Se você nunca tentar, nunca vai saber.

Contagem regressiva. Poucos dias para a tão esperada virada do ano. Devo confessar que, particularmente, nunca vou entender o ano novo de outro modo que não seja uma forma que o ser humano arrumou de manter os dias mais organizados. Nada contra. O que é engraçado, é que algumas pessoas estabelecem certas metas, e apenas contam com a sorte/fé para que elas se realizem. Desejam desesperadamente que o ano novo traga surpresas e acontecimentos melhores do que os do ano anterior. Mas acredito que esse tipo de pensamento não ajuda muito. Quer dizer, se você quer alguma coisa você deve correr atrás dela, fazer por merecer. Ficar parado, esperando, não vai mudar nada. Você esperou nove meses pra nascer, você não tem mais tempo pra esperar nada. Agora é tempo de agir.

Acho que o ano novo pode contar como momento de reflexão. Pode ser a hora para por em prática tudo o que você sempre quis, mas nunca fez. Cada dia é um novo mar de possibilidades infinitas, desde que acordemos respirando, é nossa escolha agarrar essas possibilidades, ou não. Acho que o tempo tem passado mais rápido do que parece normal. Talvez a velocidade com que as pessoas, que hoje em dia precisam realizar tanta coisa ao mesmo tempo, tenha afetado o resto do mundo, e o pé de alguém ficou grudado no acelerador, impossibilitando as coisas de irem mais devagar. Então talvez a gente não perceba que o nosso tempo é limitado, e como achamos que podemos fazer tudo ao mesmo tempo, simplesmente não ligamos.

Ninguém nunca sabe o dia de amanhã. Então até que a gente acorde outra vez, me de uma razão pra não vivermos um dia de cada vez. A gente não escolhe como vai morrer, mas a gente pode escolher como queremos viver. Talvez você tenha contas pra pagar, ou provas pra passar, ou coisas pra estudar… Mas se você não desgrudar seu pé um pouquinho de vez em quando, você pode não aguentar. Alguma hora todos nós precisamos de uma válvula de escape… Então que o ano novo de todo mundo seja melhor do que esse que se despede. Mas não por sorte, ou milagre. Mas por vontade própria. Porque você quis, fez e aconteceu. Porque você mereceu. Nunca vai ser diferente. Ficar parado não leva ninguém a lugar nenhum, mas dar uns passinhos pra frente pode ajudar em alguma coisa…

Imagem

foto

Por: Carolina Alves.

“Canibais de nós mesmos…”

“…Antes que a terra nos coma
Cem gramas, sem dramas
Por que que a gente é assim?”

Cazuza – Por que que a gente é assim?

Por: Carolina Alves.

Enem

Genteeee… Hoje, sai o tão esperado resultado do Enem 2012. Para muitos cidadãos que fizeram a prova, hoje é o dia que separa a vida de hoje do futuro. Como vocês se sentem? É como uma página de um caderno novo, toda em branco, com cheirinho de material novo, esperando pra ser escrita, ou guardada pra próxima oportunidade. Eu não consigo acessar de jeito nenhum o site do resultado, então ficarei na curiosidade mais algumas horas… Mas pra vocês que já sabem, ou conseguiram acessar: Boa sorte!
E nunca esqueçam, tropeçar faz parte do caminho. Ninguém vai pro topo numa ascenção crescente, às vezes o caminho tem curvas indesejadas. Mas o importante é que todos sempre podem tentar novamente. Basta querer. Boa sorte pra todos.

Enquanto isso… uma música pra relaxar…

Por: Carolina Alves.

Medo do escuro.

Todo esse calor às vezes me afeta. Minha cabeça já está rodando novamente, e eu nem me dou ao trabalho de organizar o que andei pensando novamente. E todas essas palavras nunca ditas ou ouvidas, começam a formar uma pilha cada vez maior, e mais torta. Pronta pra ceder em qualquer momento e deixar minha cabeça latejando.

Lá pela noitinha é onde tudo se complica, o calor é sufocante, e não tem frente fria caminhando do Sul que possa mudar isso. Até tento dormir, mas de cada poro do meu corpo, cai outra gota de suor. Me desloco desconfortavelmente, de um lado para o outro da cama, mas isso não surte efeito. O que fazer no tempo em que fico acordada?

Tenho medo do escuro, não ouso por meus pés no chão depois que todos dormem. Então me chegam os devaneios, tomando certa parte do tempo. Às vezes ouço uma música bem baixinha, pra me libertar do silêncio ao qual não pertenço.

Nessas noites mais quentes, todos os pensamentos guardados lá no fundinho, resolvem sair pra me confrontar. Finalmente, enquanto luto contra eles, a noite revela um minuto mais fresco. Não penso duas vezes, fecho os olhos bem forte, e durmo. Deixo o vento fraco fazer seu trabalho, e levar de volta pro lugar os pensamentos que saíram do fundo da pilha.

Eu tenho medo do escuro, porque na sua vastidão desconhecida, obscura e solitária, eu não consigo enxergar o caminho, até que saia o sol, e pra onde quer que eu tente ir, continuo tendo de enfrentar todas as coisas, os monstros embaixo da cama, e os dentro de mim mesma,que eu não me permito durante o dia. E finalmente se aproxima a aurora, e eu observo, secretamente aliviada, enquanto a noite se vai. Mas não devo me enganar. Noites quentes sempre vão existir, e as noites escuras e vazias sempre irão voltar.

Por: Carolina Alves.

Chicago Fire

Alguém já viu essa série? Eu normalmente prefiro comédias, ou romances água com açúcar, mas tem alguma coisa nela. Trata-se de uma série sobre a rotina de um grupo de bombeiros, que tem um dos trabalhos mais importantes e arriscados, obviamente salvar vidas, mesmo correndo o risco de perder a própria no processo. Ao decorrer dos 42 minutos, se alternam entre os problemas pessoais que a profissão pode ajudar a causar, e a hora de entrar em ação. Acho que é uma série muito interessante, e eu realmente não gosto muito desse tipo de coisa, mas ela simplesmente te atrai, estou completamente viciada em assistir.

Imagem

Quando uma fatalidade acontece, pondo fim a vida de um membro da equipe, os sentimentos ficam a flor da pele e há um desentendimento sobre quem é o culpado. O tenente Matthew Casey, tenta seguir em frente, porém ele não consegue deixar de bater de frente com o tenente Kelly Severide, da equipe de resgate. Um culpa o outro pela morte do companheiro de equipe. Entretanto, quando chega a hora de atender uma nova ocorrência, eles colocam as diferenças de lado e se arriscam um pelo outro.

Ficou interessado? Atualmente a série é exibida pelo canal pago Universal Channel, mas também há episódios disponíveis na internet. Que tal adicionar à sua lista de séries? Provavelmente não irá se arrepender. Então é isso.

Por: Carolina Alves.

Unhas

Como foi o natal de vocês? Bem, aqui vão as últimas unhas do ano… Espero que gostem, e não esqueçam que sempre podem visitar a página no facebook da moça que faz as unhas, By Nadja Freire.

ImagemImagemImagemImagem

 

Por: Carolina Alves.

Pequeno holofote.

Como se um pequeno holofote se acendesse dentro de mim, quando estou em perfeita harmonia comigo mesma. Como se iluminasse em minha mente o ponto em que estou, e então observo a luz, como se nunca a houvesse visto.

Pois antes era só escuridão. Mas agora há esse pequeno holofote dentro de mim, e eu não sei o que fazer exatamente. Ele me segue, iluminando cada passo que eu dou e eu me acostumo lentamente a sair da sombra, e a andar sobre a luz, observando o que antes eu não via.

Como se esse pequeno holofote me mostrasse mais do que eu esperava, me levando além. Mas sem aviso prévio ele se apaga. E me deixa quebrada na escuridão. E eu penso em chorar novamente. Achei que meu pequeno holofote havia partido para sempre, sem previsão de voltar um dia.

Mas ele se acendeu novamente. Esperei até ter certeza de que ele permaneceria aceso. E ele ficou. E continuava. De vez em quando ainda temo que ele se apague. O que me fez perceber que até as menores luzes precisam de manutenção.

Então vejo meu pequeno holofote aceso e por enquanto sei que é desse jeito que ele deve continuar.

Por: Carolina Alves.