Tomate podre

Não raro
Como amor e ódio
Podem co-existir
Fadados
A nenhum outro caminho
Que não colidir
Quão caro
O preço a pagar
Quando sempre resistiu
Calado
Baseado na certeza de que
Antigos pilares
São impossíveis ruir
Cansados
Estão meus olhos de se afogar
E de braços abertos
Como posso ficar?
Se houvesse esperança
De que dos escombros
Algo pudesse ainda ser salvo
De que não são vãs
As tentativas
Ou inútil o tempo gasto
Ainda que impossível pareça
Que não termine num fiasco
Que seja apenas sabido
Que não me arrependo um dia
De todo zelo que tive
Ter sido a ti dedicado
Pois não há no mundo 
Quem troque o doce pelo amargo
Da certeza que um dia
O tempo faça certo
Do que antes deu errado

Carolina Alves

Anúncios

Confissão

Outro dia de chuva
Eu queria poder ver o seu rosto
Você me tem em suas mãos
Mas eu estou em seu coração?
Eu tenho andado na escuridão
Você não pode por sobre mim toda essa luz
Eu estou acostumada com as sombras
Agora eu estou ficando tão cega
Oh, eu poderia andar uma milha
Nem mesmo assim eu esqueceria seu rosto
Eu estou perdida no contexto espaço-tempo
O relógio continua rodando
Mas as horas são sempre as mesmas
Você me deu asas
Mas eu ainda estou presa no chão
Apesar do que parece
Meu coração não é feito de pedra
Você pode ver a tristeza lá dentro?
Você pode ver que estou completamente sozinha?
Oh, liberdade…
Parece um sonho tão estranho para mim
O impossível faz alguma diferença?
Eu estou sonhando sobre um tempo quando meu coração não estará partido
Não posso aguentar muito desses dias
Quando nada tem um significado
Não há muito em que se segurar
Oh, eu estou em queda livre por você
Você tem metade do meu coração
A outra metade está segura
Esperando você chegar
Não haverá nenhuma resistência
É uma terra inexplorada
Esperando ser descoberta por você
Tão no fundo da minha alma
Cresce esse sentimento
Eu juro debaixo da luz do luar
Isso poderia ser infinito
Mas ainda é tão novo
É bom o suficiente o que eu posso te dar hoje?
Não há uma única coisa que eu não faria
Quando você perceber que meu coração pertence a você

 

Carolina Alves

Para passar o tempo 13

Nos últimos dias li o suficiente por todo o tempo que fiquei sem ler nada, mas ficaria enorme postar sobre todos, então separei os mais interessantes (na minha opinião). Ainda faltam alguns, que ficam pra um próximo post. Espero que gostem das sugestões ;)

Casório

Lucy nem ao menos tem namorado (para falar com franqueza, ela nem tem assim tanta sorte no amor). Mas a senhora Nolan jogou o tarô e previu que Lucy estará entrando na igreja, a caminho do altar, dentro de um ano. As amiga que dividem o apartamento com Lucy ficaram estarrecidas com a notícia. Se ela for embora, isso vai acabar ponto fim ao seu maravilhoso estilo de vida, que consiste em comer quentinhas, beber muito vinho, levar rapazes para o apartamento e jamais fazer uma faxina na casa. Mas Lucy as tranquiliza, dizendo que anda ocupada demais brigando com a mãe e se preocupando com o irresponsável do pai para pensar em se casar. E há um pequeno problema: não existe nenhum namorado na jogada. Entretanto, Lucy conhece Gus, o lindo e nada confiável Gus, e começa a se perguntar: será que ele poderá ser o futuro Senhor Lucy Sullivan? Ou quem sabe Chuck, o americano bonitão? Ou Daniel, o maior paquerador do mundo? Ou quem sabe Jed, o novo rapaz que foi trabalhar na firma?

Imagem

O Simbolo Perdido (absurdamente interessante!)

Depois de ter sobrevivido a uma explosão no Vaticano e a uma caçada humana em Paris, Robert Langdon está de volta com seus profundos conhecimentos de simbologia e sua brilhante habilidade para solucionar problemas. Em O símbolo perdido, o célebre professor de Harvard é convidado às pressas por seu amigo e mentor Peter Solomon – eminente maçom e filantropo – a dar uma palestra no Capitólio dos Estados Unidos. Ao chegar lá, descobre que caiu numa armadilha. Não há palestra nenhuma, Solomon está desaparecido e, ao que tudo indica, correndo grande perigo. Mal’akh, o sequestrador, acredita que os fundadores de Washington, a maioria deles mestres maçons, esconderam na cidade um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem o encontrasse. E está convencido de que Langdon é a única pessoa que pode localizá-lo. Vendo que essa é sua única chance de salvar Solomon, o simbologista se lança numa corrida alucinada pelos principais pontos da capital americana: o Capitólio, a Biblioteca do Congresso, a Catedral Nacional e o Centro de Apoio dos Museus Smithsonian. Neste labirinto de verdades ocultas, códigos maçônicos e símbolos escondidos, Langdon conta com a ajuda de Katherine, irmã de Peter e renomada cientista que investiga o poder que a mente humana tem de influenciar o mundo físico. O tempo está contra eles. E muitas outras pessoas parecem envolvidas nesta trama que ameaça a segurança nacional, entre elas Inoue Sato, autoridade máxima do Escritório de Segurança da CIA, e Warren Bellamy, responsável pela administração do Capitólio. Como Langdon já aprendeu em suas outras aventuras, quando se trata de segredos e poder, nunca se pode dizer ao certo de que lado cada um está. Nas mãos de Dan Brown, Washington se revela tão fascinante quanto o Vaticano ou Paris. Em O Símbolo Perdido, ele desperta o interesse dos leitores por temas tão variados como ciência noética, teoria das supercordas e grandes obras de arte, os desafiando a abrir a mente para novos conhecimentos.

Imagem

O Projeto Rosie (Muito engraçado, simples, genial!)

Perto de completar 40 anos, o peculiar professor de genética Don Tillman havia desistido do amor. Para acompanhar sua rotina severamente cronometrada, com esquema de refeições padronizadas, um cronograma para a execução de cada compromisso (inclusive para a prática de exercícios físicos antes de dormir) e lidar com sua falta de habilidade social, só mesmo a mulher perfeita. E ele já sabe como encontra-la. Ou pelo menos acha que sabe. Ele desenvolve o projeto Esposa Perfeita, um questionário meticuloso que irá ajudá-lo a selecionar candidatas adequadas a seu estilo de vida. Mas quando Don conhece a jovem Rosie ele descobre que nem tudo na vida pode ser programado… e que o amor pode, de repente, vir a seu encontro.

Imagem

Carolina Alves

(In)compatível

Quem
É a razão do seu sorriso?
Aquele que você me dá todos os dias?
Quem
É a razão do seu sorriso?
Aquele que tira o meu fôlego
Quem
É a razão do seu sorriso?
E da felicidade que você mostra por aí
Quem
É a razão do seu sorriso?
Existe alguém em sua mente?
Lá vai ele de novo…
Não há lugar pra eu me esconder
Toda vez que ele chega perto
Eu acabo o afastando
Meu coração quase pára
Quando ele não está
Mas basta um só toque
E fica difícil não escutar
Eu olho nos olhos dele
E vejo o paraíso
Mas eu não posso deixar
Que ele olhe os meus
Porque é onde todos os meus demônios
Ficam escondidos
Todos os meus medos
E dúvidas
E perguntas
Sem resposta
Como é que eu vou saber
Se não estou perseguindo minha imaginação?
Eu me pergunto se ele sabe
Que é tudo em que eu penso
Eu deveria deixa-lo ir
Mas eu sei que não posso
Ele é como o Sol
No inverno frio
Ou chuva no deserto
Ele é como brisa fresca
Num dia muito quente
Ele é tudo o que eu vejo
Estejam meus olhos abertos
Ou fechados
Eu estou gritando em silêncio
Ele pode ouvir?
Eu não sei como sair
Ele precisa me dizer agora
As coisas seriam mais fáceis
Se um de nós dissesse aquelas palavras
Ou mostrasse de qualquer outro jeito
Feche os olhos
Me perdoe
Se eu estiver dizendo coisas que você já saiba
Me leve para algum lugar
Além da escuridão
Desse mundo solitário
Você
É a razão do meu sorriso
E da minha raiva
E das minhas lágrimas
Você
É a razão do meu equilíbrio
E desordem
E loucura
Você
É a razão da minha insônia
E inconstância
E das olheiras profundas
Você
É meu pedacinho de céu
E inferno
E paz
Você
É aquele de quem sinto falta
E quero perto
E bem longe, às vezes
No final do dia
Eu sei que não tem nada que eu possa fazer
Você é o único
Dentro da minha mente
Presença constante
Inconcebível
Não há mais como esconder

Carolina Alves