Pôr-do-sol

Sol-se-pôr
Se por você assim for dito
Se por só
Daquilo que sente um pedaço finito
Por si só difícil conter pois tal como
Água quente queimando na pele
Dá vontade é do grito
De repente desejo latente que esmaga
O peito e não sei se respiro
E contenho essa pressão nos ossos
Que insistem em querer levar meus pés
Ao Destino
Deste nó que me embola a garganta
E nem mesmo um mantra sufoca
Aquilo que sinto
E calada pouco a pouco esvai a vida
Da vontade mal nutrida
Que não sabe se grita já que o medo
Parece crescente
Só se por
Inesperado milagre
Em hora conveniente calhe
Sobrepondo-se as lacunas dos silêncios
Intocáveis
(Pois sensível é a pele recém-queimada
E tamanha destreza é necessária ao ser
Cuidada)
Ai, na ânsia de se mostrar benquerença
Ai, dolorosa essa tal intensa
Intenção desse querer
Pôr-do-sol
Pôr-do-Ser
Que permanece assim parado
Esperando atravessado
O caminho
Só se por você

Carolina Lobo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s