Confirma

Esse foi o primeiro ano que eu votei em uma eleição! Tão emocionante hahaha. Mas é horrível andar nas ruas e reparar em toda a sujeira no chão, com todos aqueles papeis de candidatos… Triste. Tirando isso, vote consciente! Não jogue fora um dos seus maiores direitos como cidadão de uma democracia: escolher quem vai te representar. =D

Carolina Alves

A culpa não é da estrela

        Ultimamente a internet inteira anda transbordando de pessoas insatisfeitas com o governo. Não, isso ainda é mais difícil, afinal o governo não é monopolizado por um único partido. Ultimamente a internet anda cheia de gente insatisfeita com o PT. “PeTralhas”, “A Culpa é da Estrela”, “morreu alguém, alguém foi assaltado, alguém tropeçou na escada hoje? A culpa é do PT, a culpa é da Dilma”. Tudo, por menor relação de culpa que possa ser atribuída a uma pessoa específica, é atribuído a esta. A perseguição a esse partido beira a falta do bom senso. As pessoas não tem a menor ideia das coisas que dizem. Dizem porque é a moda, porque todo mundo acha, porque precisam canalizar todo seu ódio pra um foco. Mas a questão é: O PT, a Dilma, não é o mal supremo que impede o Brasil de ir pra frente. Você é. Eu sou.

        A essa altura, provavelmente está parecendo que sou uma adoradora fanática do PT. Mas não é verdade. Me considero centro-esquerda, mas não apoio o PT, simplesmente por não concordar com um partido onde pessoas corruptas continuam permitidas a exercer uma função que deveria ser delegada a alguém com competência de pensar em direitos comuns em benefício de toda uma sociedade, e não capaz apenas de olhar pros seus próprios. Não concordo com o PT porque acho que eles se corromperam em sua busca por cada vez mais poder, e que o partido representado outrora por trabalhadores oprimidos, hoje é dividido entre os idealistas esperançosos, que seja por acreditarem que ainda se trata do mesmo partido, acham que ele é um mar de rosas, a perfeição da política, e dos que já estão lá, corrompidos, em minha opinião (deve haver exceções). Não apoio a Dilma, porque acho que ela não estava de maneira nenhuma preparada para ser Presidente da República, lugar que ela só ocupa – com a sombra do seu antecessor, só pra ressaltar – graças ao carisma de Lula. Quem teria votado nela se não fosse seu “padrinho” político, que era e continua sendo querido na lembrança da maioria das pessoas?

        Mas como eu pontuei anteriormente, o PT não é o único partido corrupto. E o PMDB? E o PSDB? E os outros partidos políticos? Nesse ano de eleição, os candidatos de oposição terão como vantagem o fato de todos estarem inclinados a odiar a Dilma, e jogarão em cima de nós fatos e mentiras aumentados em proporções grandes, se beneficiando dessa onda de contrariedade ao PT que está no seu ápice. Por favor, vamos ter a consciência de pesquisar sobre os candidatos antes de votar. Não seja “maria-vai-com-as-outras” e saia declarando seu ódio eterno ao atual governo sem se dar ao trabalho de pesquisar no que você quer colocar no próximo. Vote nos candidatos que na SUA visão apresentarem as melhores propostas, passarem mais confiança e credibilidade. Não tenha preguiça de se informar sobre isso, se não você perde o direito de reclamar mais tarde.

        E pra fechar esse assunto, só tenho mais uma coisa a dizer. Se o nosso país está do jeito que está, a culpa é nossa, sua. Sua que incentiva o “jeitinho brasileiro”, sua que incentiva a preguiça, que não impõe limites ao seu filho, que fala, fala, mas não dá o exemplo, sua que não incentiva a educação, sua que se satisfaz em estar acima somente da Indonésia em qualidade de ensino, que abre os braços pro comodismo, que vai empurrando com a barriga até onde der, sua que não bate o suficiente nas teclas “valores éticos, morais e educação com o próximo”, sua que não é capaz de olhar pros lados, que ignora os reais problemas, que ignora falhas graves de caráter por se tratar de alguém da família ou próximo a ela. Sua que vende seu voto por um tijolo, que difama qualquer um sob qualquer pretexto, sua que fura filas e acha que isso não é nada. Sua que subestima todos esses detalhes “pequenos”, que mudam radicalmente a convivência.

        Mas deve ser cultural. Ninguém incentiva isso nesse país. Entretanto, nunca é tarde pra mudar, desde que se queira. Talvez você, se for mais velho, não viva tempo suficiente pra ver a mudança acontecer, mas é preciso deixar algum legado positivo para as gerações futuras se agarrarem. É preciso em algum ponto dar o exemplo, e fazer com que vire rotina. É preciso que as pessoas estejam dispostas, porque uma hora o sistema colapsa sobre si mesmo. Vamos hoje começar a cultivar esses valores, porque seus filhos pequenos agora, são os presidentes, médicos, professores, são o país de amanhã. Ensinem a essas crianças, invistam nelas, instruam bem elas, pra que elas sejam pessoas dignas desses cargos amanhã. Não saia culpando o governo como o grande vilão, embora ele esteja negligenciando suas tarefas, subestimando nossa inteligência, e torcendo pra que nós viremos alienados, se eles estão lá foi porque você quis. Você que vota, votou neles. Metade dessa culpa também é sua. Pense. Por você mesmo.

Carolina Alves.

Sobre ângulos…

Hum… De vez em quando leio algumas bobagens absurdas por aí, de pessoas que tem ideias equivocadas, estereotipadas ou extremistas sobre determinados assuntos. Até aí… Opinião é um direito de toda e qualquer pessoa que possa pensar, quem sou eu pra proibir alguém de se manifestar… Mas o que realmente me irrita é quando uma pessoa não se dá o trabalho de saber sobre o que está falando, e acaba debochando ou menosprezando de algum jeito algum assunto que é relevante de um modo cultural. Como por exemplo o feminismo. Acho que as pessoas tem uma ideia muito equivocada quando ouvem essa palavra. Você não precisa ser uma dessas pessoas radicais que contradizem a própria essência do feminismo (a mulher ter a liberdade de fazer com o próprio corpo o que quiser, sem precisar se submeter a vontade de terceiros, vou “supor” que outras mulheres se incluam aí, e terem os mesmos direitos que os homens na sociedade).

Não há nada de errado em querer igualdade para ambos os sexos. Ser feminista não significa que você vai passar a vida odiando homens, não vai ter um pingo de vaidade ou vai inferiorizar o sexo masculino e sonhar com um mundo livre dele. Mas é absurdo você taxar todas as pessoas que apoiam o movimento baseado no comportamento de um determinado grupo. Não ser radical e não praticar as coisas citadas acima não te torna indiferente a causa. Cada um tem um modo de expressar o seu apoio. Afinal, não é essa a questão? Liberdade para agir? Faça o que você quiser. Você não precisa ser mulher pra ser feminista. Você não precisa ser homem pra repudiar e tripudiar sobre uma mulher. O segredo é o ângulo, o ponto de vista. Qualquer mal entendido pode virar um monstro de 7 cabeças se não analisado de maneira sensata.

Do mesmo modo, não é porque você se denomina feminista, ou apoie o feminismo, ou seja lá o que for, que você não terá olhos para outras injustiças, afinal, caso você realmente seja a favor da igualdade, não é possível que seria apenas motivo de preocupação causas que beneficiam o sexo feminino. É de se questionar se não seria considerado igual discriminação homens terem penas maiores por mesmos crimes cometidos que mulheres? Não é injusto que o sistema judiciário frequentemente priorize mulheres aos homens na hora que um casal se divorcia e está decidindo a guarda dos filhos? Não estou insinuando que as mulheres sejam coniventes, estou apenas enfatizando que o outro lado também sofre com diferença de tratamento.

Obviamente não sou louca, através da história fica muito claro quem sofreu maior discriminação da sociedade, quem demorou até ter a opinião reconhecida, direitos aceitos, e igualidade apoiada, existência permitida e aceita. Mas igualdade pode ser conseguida focando apenas em um lado? Realmente, foi uma luta justa e reconhecida a das mulheres pelos seus direitos, que por incrível que seja continua até hoje, mas o mundo é injusto de um modo geral, não se pode por a culpa em alguém ou em um gênero por isso.

Não é ridículo lutar por um ideal. Você acredita/apoia o que seus princípios permitem. Não generalize o feminismo, pesquisando você pode se identificar com ramos menos radicais. Mais importante, porém, não deixe que ninguém, homem ou mulher, influencie em suas escolhas sobre o mundo ou você própria. Você tem uma cabeça pensante. Experimente. Use. Não seja apenas levado pelo senso comum. Experimente pensar além dele, ou caminhar com ele se isso é o que você acredita.

Carolina Alves.

Ainda sobre isso…

Oba!!! Um bom dia pras pessoas que fazem a limpeza da cidade hein? Como comentei sobre a situação dos garis antes, resolvi comemorar o fim da greve e o fato deles terem conseguido o que desejavam também! Nada mais justo que um acordo que beneficiasse esses profissionais. Enfim reconhecida sua importância. Isso tudo podia ter sido evitado, mas em todo caso, antes tarde do que nunca! Boa noite.

Sobre isso…

Vi muito brevemente algo sobre a greve dos garis no jornal, e andei lendo sobre na internet. Obviamente não podia ter havido hora pior pra se fazer uma greve nesse setor, levando em conta que o período de carnaval é um dos mais movimentados na cidade, porém acho a greve muito válida, mesmo que não seja aprovada pelo sindicato.

Várias matérias mostravam a imundice das ruas do Rio, e os comentários eram absurdos pra dizer o mínimo… Em geral as pessoas culpavam os garis pela sujeira da cidade, não achavam a razão pela qual eles protestam digna de atenção, e uns mais extremos diziam que eles tinham mesmo é que ser demitidos… alguns chegavam ainda a dizer que se não jogassem lixo nas ruas eles não teriam emprego (O que não passa de uma justificativa descartável para a imundice dessas pessoas que jogam lixo na rua, ainda mais porque eles fazem a coleta semanal do lixo das nossas casas).

Acontece que esse problema seria consideravelmente minimizado se as pessoas tivessem o bom senso de jogar o lixo na lixeira, ao invés de usar o chão como palco de sua falta de higiene e educação. O nível de lixo nas ruas é absurdo, seria utopia acreditar que não haveria lixo, mas a culpa é da própria população, é um problema cultural… Não existem muitas campanhas publicitárias incentivando o uso de lixeiras e não é uma coisa que habite o pensamento da maior parte das pessoas, seja por pressa, preguiça, outras preocupações na cabeça, maus modos ou sei lá o que.

Só de arrumar a casa, varrer umas poeirinhas de nada, a gente já fica cansado, imagina fazer isso o dia todo debaixo do sol e chuva, exposto a qualquer doença que o lixo fica feliz em oferecer? Como o salário deles pode ser justo ao serviço prestado? É uma profissão pouco reconhecida ou lembrada. Mas nessas horas é que as pessoas reparam na importância dos serviços desses profissionais.

Seja lá como acabe essa história, esse é só mais um dos setores que o país precisa urgentemente dar a devida atenção, outro pra adicionar a uma já extensa lista, como: educação, saúde pública, transporte público, segurança… Afinal de contas, a limpeza da cidade é relacionada  com a saúde da população, imagine que horror além do calor, pilhas e pilhas de lixo jogadas nas ruas, mau cheiro, ratos e baratas passeando livremente e pessoas se contaminando com doenças provenientes da situação? Mas óbvio que esses problemas precisam ser discutidos com frequência, e adicionados ao cotidiano da população, dando assim início a uma conscientização conjunta que ajudaria a mudar a cidade e seus hábitos, gerando satisfação pra ambas as partes.

Carolina Alves